Debates e estudo de temas relacionados a Direito e Processo do Trabalho. Livros, e-books e materiais jurídicos. Pesquisas e críticas acadêmicas. Democratização do ensino. Concursos públicos. Finalidade altruística e vocacional.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Dúvidas sobre a carreira de juiz do trabalho

Dúvidas sobre a carreira de juiz do trabalho


 Este blog, não raras vezes, recebe dúvidas de acadêmicos e profissionais do direito a respeito do ofício da carreira de juiz do trabalho. Considerando a finalidade altruística deste site, bem como a tentativa incessante de instigar pessoas realmente vocacionadas para o exercício da magistratura trabalhista, disponibilizo aqui as respostas das dúvidas de um dos nossos seguidores, intuindo serem informações relevantes para quem almeja tal cargo. Seguem as respostas das dúvidas:

1) Sei que cada um tem o seu caminho e que flores para alguns podem significar espinhos para outros, mas, no seu caso, sente-se feliz na carreira?

 Sim. Estou extremamente feliz na carreira de juiz do trabalho. É uma carreira fantástica. A minha vontade de ser juiz do trabalho surgiu desde o começo da faculdade de direito. Fui estagiário e servidor público por mais de 8 anos. Não tive bons exemplos e boa parte dos colegas de serviço me desestimulavam, mas sempre acreditei no meu ideal e no meu próprio método de estudo. Apenas a título de esclarecimento, recordo-me de uma pesquisa feita, salvo me engano pelo CNJ, que indicava a satisfação de mais de 80% dos juízes brasileiros em trabalhar no judiciário. É um número expressivo e revelador.

2) Conhece a carreira do MPT? O que poderia me advertir ou aconselhar sobre a decisão entre magistratura e MPT?

 Sim. Conheço a carreira e, inclusive, já prestei alguns concursos antes de passar para juiz do trabalho, mais com o objetivo de não perder o ritmo de estudos, já que poderia prestar as provas na cidade na qual morava. Se tivesse que optar, ainda assim permaneceria como juiz do trabalho, embora tenha conhecimento de vários colegas que pensam exatamente o contrário. A carreira do MPT é fascinante, mas não combina comigo. Exige-se uma pessoa de cunho investigativo apurado e gosto mais de solucionar litígios que chegam ao meu conhecimento. O MPT tem uma atuação extrajudicial robusta com TACs e inquéritos. A via judicial é medida derradeira, logo após esgotadas todas as etapas inquisitivas. A decisão vai depender de seu perfil pessoal, mas, como juiz, sempre recomendo a magistratura.

3) O excesso de trabalho realmente existe? A vida pessoal é prejudicada pela magistratura? É possível levar o magistério como carreira paralela?

 Sim. O excesso de trabalho é algo real e presente. Contudo, se você tiver vocação para o ofício, o tempo de serviço será prazeroso. A carga horária, desde que você se organize e tenha uma dinâmica boa de serviços, te permite empenhar-se na vida acadêmica. A vida familiar fica um pouco comprometida, porém acho que estou conseguindo conciliar, logicamente com o apoio e compreensão de minha esposa e filho.

4) O que diria ao seu filho, se ele decidisse ser juiz do trabalho?

 Essa pergunta é interessante. Sofri bastante para passar no concurso de juiz. Como disse, sempre acreditei nos meus estudos. Estudava para juiz desde o meu terceiro ano de direito e tive várias reprovações, porém nunca desisti, por mais desestimulado que estava. Acredito que o concurso de juiz é um projeto familiar. Todos da minha família estavam imbuídos neste propósito. Chorei e minha esposa enxugou minhas lágrimas por várias vezes. Essa vida de concurseiro não é fácil, mas o destino final é recompensador. Se meu filho quisesse ser juiz, com certeza, apoiaria. Aliás, como pai, apoiaria qualquer decisão que o fizesse feliz. Como diria o poeta, “a melhor herança que um pai pode deixar ao filho ou o educador ao discípulo é a firmeza em aspirar triunfos e a capacidade de assimilar derrotas.”
 Bom, fiquei instigado com seus questionamentos. De coração, como pessoa realizada profissionalmente que sou, sempre indico a magistratura do trabalho. O fornecimento de uma ordem jurídica justa deve ser o seu principal objetivo e as benesses (salário e status) são consequências de uma dedicação profissional. Se inverter essa equação quem perde é o jurisdicionado. Lembre-se que o estudo é árduo e incessante, mas a carreira é incrível e vale a pena. Não faria nada diferente.

Reações:

12 comentários:

  1. Adorei!!! Até me emocionei, não vejo a hora de passar e poder exercer essa profissão maravilhosa!!! Ótimo retorno ao blog.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom!!! Parabéns pela vitória e pelo site.

    ResponderExcluir
  3. Acabo de me formar e decidi que quero a magistratura do trabalho! Porém não sei nem por onde começar a estudar, cursinhos, revistas,você pode me ajudar?

    ResponderExcluir
  4. Creio que o mais difícil você já vez: decidiu iniciar os estudos e prestar um dos concursos mais concorridos do país. Isso já é um grande passo inicial. Não desista, por mais complicado que possa parecer. Você com certeza pode ser juíza do trabalho, basta estudar com afinco, persistir, não se abalar com eventuais reprovações e aprender com seus erros. Não tem uma fórmula exata, mas a perseverança é alma destes concursos.
    Compensa investir no edital esquematizado para a magistratura do trabalho. Trata-se do edital do concurso comentado ponto por ponto, com dicas e indicação bibliográfica. Acesse este link para maiores informações: "http://www.magistradotrabalhista.com.br/2015/11/edital-esquematizado-para-magistratura.html"
    Obrigado pelo contato e espero que Deus a ilumine nesta caminhada.
    Não deixe de curtir a nossa página no facebook!
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estamos quase em outubro e continuo sonhando, porém estudando efetivamente desde então. Obrigada pelas palavras!

      Excluir
  5. Gostei muito do seu depoimento pessoal, muito mais que válido quando se trata de uma pessoa com experiência. Estou no terceiro ano, mas ano passado no segundo ano me interessei pelo TRT, fui para BH fazer concurso para o TRT 3 no cargo de técnico, não fui bem mas não desistirei. Continuo a estudar e sonhar com o TRT *-*

    ResponderExcluir
  6. Amigo pode me falar um pouco sobre a evolução na carreira da Magistratura trabalhista detalhadamente
    De juiz substituto ao desembargador???

    ResponderExcluir
  7. Boa noite.meu sonho é estudar para ser juíza do trabalho. Sou policial civil e estou no nono período da faculdade de direito. Estou preocupada com a questão da prática jurídica já que como policial não posso advogar. Há alguma solução para isso? Grata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite! Priscilla, nos termos da Resolução 75/2009 do CNJ, acredito que o melhor caminho seja tentar ter uma atividade no magistério superior ou atuar como conciliadora, o que acredito que não deva ter empecilho com a sua atividade policial. Espero ter ajudado! Att.

      Excluir
  8. Olá, decidi começar os meus estudos para a Magistratura do Trabalho e pesquisando sobre a carreira no Google achei o seu texto que foi muito motivador. Eu me formei no segundo semestre de 2015 e fui aprovada no exame de ordem, graças a Deus, na primeira tentativa. Me apaixonei pelo Direito do Trabalho justamente estudando para o exame de ordem.

    Tomei a liberdade de te escrever e espero que com a sua experiência e visão possa me ajudar.

    Você acha que essa PEC do teto dos gastos vai reduzir muito as oportunidades de ingresso na carreira, caso seja aprovada?

    Analisando os últimos editais fiquei em dúvida quanto a prova de títulos. Como disse, sou recém formada, e atualmente faço uma pós graduação em Direito e Processo do Trabalho, e durante os estudos pretendo atuar em algumas causas judiciais para garantir o tempo de exercício, mas, será que a falta de títulos pode me excluir nessa etapa do concurso? Sei que não é eliminatório, mas, tendo em vista a minha inexperiência, posso ficar prejudicada???

    Parece-me que agora o concurso será unificado, certo? Como vai funcionar? Poderia me explicar???

    Desde já agradeço a atenção.

    Daniele Bicalho

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...